O que achou da prestação de Portugal no Euro 2012?

sábado, 2 de junho de 2012

NBA - do "lockout" às finals


Depois de um início conturbado, motivado pelo lockout dos jogadores - que reclamavam da redução drástica dos tectos salariais exigida pelos patrões das equipas - a NBA arrancou para uma época mais curta e condensada do que o habitual. 66 jogos separavam as equipas dos ansiados playoffs. Jogos em catadupa levaram diversas equipas a grandes oscilações de forma e provocaram uma onda de lesões que, quem sabe, poderá ter um peso decisivo no desfecho final da competição. Mas vamos por partes:

No Oeste, nada de muito surpreendente. Os OKC Thunder desde cedo assumiram a sua candidatura a líderes de conferência, catapultando Kevin Durant para mais um "título" (o 3º consecutivo) de melhor marcador da fase regular. Contudo, e fundamentalmente após os ajustamentos no plantel feitos já perto da deadline do mercado, Greg Popovich conseguiu trazer de volta a harmonia entre Parker, Ginobili e Duncan e, juntando-lhes a juventude e frescura física necessárias, levou os texanos dos San Antonio Spurs para um impressionante registo de 50-16, e para o 1º lugar na conferência.

Nos playoffs, tanto os Spurs como os Thunder confirmaram as excelentes prestações da fase regular, atingindo a final de conferência. Os texanos despacharam, com duplo 4-0, os Utah Jazz e os L.A. Clippers, ao passo que os de Oklahoma City derrotaram os campeões em título Dallas Mavericks (4-0) e os L.A. Lakers (4-1).
Na final de conferência, e sempre contando com um inspiradíssimo Tony Parker, lideram os Spurs por 2-1, e cremos que a tendência assim se manterá.

No Este, a primeira referência vai para a péssima prestação dos NY Knicks. Nem mesmo embalados pela Linsanity foram capazes de fazer melhor do que um 7º lugar na conferência. Para um plantel que conta com Carmelo Anthony, Amare Stoudamire e Tyson Chandler, é demasiado curto. Já os Chicago Bulls, mesmo com Derrick Rose lesionado durante mais de metade dos jogos, e fruto de prestações defensivas irrepreensíveis, lograram atingir o melhor record da conferência, à frente do "Big Three" dos Miami Heat com o MVP Lebron James à cabeça.

No entanto, jogar sem Rose na fase regular não é o mesmo que jogar sem Rose nos playoffs. Muito menos quando, numa fase tão decisiva, se perde um outro jogador importante. E os Bulls perderam Joakim Noah, e foram eliminados na primeira ronda pelos 76ers. Mas já diz o povo, "rei morto, rei posto", e os veteraníssimos Boston Celtics não enjeitaram a oportunidade de atingir mais uma vez a final de conferência, tendo tido de se "livrar" de Atlanta Hawks e 76ers. No lado de cima do quadro, os Heat de "King" James cumpriram o seu papel deixando para trás os NY Knicks e os Indiana Pacers.
Na final de conferência, com um imparável Lebron James, comandam os Heat por 2-1, e a balança pende para os da Florida. Todavia, com Chris Bosh de fora indefinidamente por lesão, não arriscamos um prognóstico, pois Kevin Garnett continua a saber muito...

3 comentários:

Anónimo disse...

Este ano vai mesmo para os Spurs...

OKC com Durant e Westbrook (+ Ibaka e Harden) ou Miami com Wade e LeBron James (+ Bosh), são equipas que ganham muitos jogos baseados unicamente no enorme talento destes jogadores (numa boa noite ambas as equipas são ofensivamente imparáveis), mas numa eliminatória com vários jogos os Spurs são de uma regularidade assustadora. Jogam como uma verdadeira equipa, montada pelo Mourinho Popovich, onde cada jogador cumpre o seu papel na perfeição!

E Tony Parker, naturalmente, MVP!

3 de junho de 2012 às 11:46
Pé d'Atleta disse...

É este o feedback que queremos!
E estamos plenamente de acordo com a sua análise, contudo acreditamos que o desfecho vai acabar por marcar o início da dinastia de Lebron James.

3 de junho de 2012 às 13:38
Anónimo disse...

Ainda assim, é preciso ponderar que se Bosh fizer um bom trabalho com Duncan, dificilmente os Spurs terão alguém suficientemente possante para parar King James...

Boris Diaw é claramente curto para LeBron...

Mas podemos ver por outro lado que Ginobli e Parker vão desbaratar o fraquinho Chalmers...

Mas será engraçado se for essa a final, duas equipas opostas...

3 de junho de 2012 às 14:08

Enviar um comentário