O que achou da prestação de Portugal no Euro 2012?

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Andebol - Época 2011/2012


A época andebolística 2011/2012 termina apenas com o torneio olímpico. Mas, acabadas as competições nacionais e europeias, e num ano que também teve um Campeonato da Europa de selecções, impõe-se que se faça um balanço.

Em Portugal, mais um passeio triunfal do FC Porto. A equipa de Obradovic, com um misto de experiência e juventude, voltou a dar lições de bem defender e no seu reduto apresentou-se instransponível. Destaque ainda para a jovem e voluntariosa equipa do Madeira SAD, que arrancou um espectacular 2º posto, não obstante o orçamento ser consideravelmente inferior ao de outros adversários. Duas notas finais: o andebol continua a ser a única modalidade amadora que reúne a presença dos 3 "grandes"; a aposta no jovem jogador português é cada vez mais efectiva, pelo que é natural que dentro de poucos anos tenhamos novamente uma selecção capaz de ser assídua nas grandes competições - basta olhar para nomes cheios de potencial como Fábio Magalhães, João Ferraz, Pedro Portela, Gilberto Duarte, Wilson Davyes ou Rui Silva.

Na Europa, o poderoso THW Kiel regressou aos títulos, e logo em dose dupla: venceu a Bundesliga sem consentir qualquer derrota (notável, se tivermos em conta a enorme competitividade da liga), e sagrou-se campeão europeu batendo na final o regressado Atlético de Madrid, numa "final four" que contou ainda com a presença dos dinamarqueses do Copenhaga e dos alemães do Füchse Berlin. O islandês Alfred Gislason conduziu jogadores como Thierry Omeyer, Daniel Narcisse e Filip Jicha a mais um título europeu.
A Liga Asobal decide-se amanhã, com o Barcelona e o Atlético de Madrid a partirem para a última jornada em igualdade pontual. Contudo, os blaugrana devem ultrapassar facilmente o Torrevieja sagrando-se campeões do país vizinho.

Nas selecções, o campeonato da europa que decorreu na Sérvia trouxe uma grande novidade: a França não ganhou nem esteve perto disso. Apesar de contar com praticamente o mesmo conjunto de jogadores que tantas alegrias tem dado aos adeptos bleu, os gauleses tiveram inclusivamente dificuldade em ultrapassar a fase inicial da prova. Esta conjuntura deixou a Dinamarca do bombardeiro Mikkel Hansen - há muito que não se via um rematador assim no andebol mundial - com o título à mercê, tendo ultrapassado a anfitriã Sérvia no derradeiro encontro.

Para terminar, estão prestes a decidir-se quais as selecções que presenciarão o campeonato do mundo do próximo ano. Portugal terá uma difícil eliminatória contra a, outrora fortíssima, Eslovénia. Estamos convencidos de que os comandados de Mats Olsson têm valor para estar nesse certame, mas terão que suar a camisola para levar de vencida uma equipa com mais tradição e, acima de tudo, experiência.

3 comentários:

Diogo Silva disse...

A selecção Nacional tem bons jogadores, mas o treinador...tem opções que só ele consegue entender!

2 de junho de 2012 às 17:49
Pé d'Atleta disse...

Ele apanhou a selecção numa fase bastante complicada. Passámos de uma geração de ouro para uma geração de jogadores de qualidade muito inferior , e ele só agora está a conseguir lançar as bases para um futuro mais promissor. Mas temo que abandone o cargo com o trabalho a meio...

2 de junho de 2012 às 17:54
Diogo Silva disse...

Eu sigo muito o meu clube e sigo muito pouco a selecção, mas vejo que ele nem sempre toma decisões correctas... e muito menos consensuais!

Colocar o Gilberto Duarte a extremo esquerdo é uma das aberrações deste treinador. Ou é visionismo a mais ou então não vê os jogos de todas as equipas em Portugal.

Ele tem de sair mais de Lisboa, vir ao Norte e ir à Madeira ver mais jogos.

5 de junho de 2012 às 16:11

Enviar um comentário