O que achou da prestação de Portugal no Euro 2012?

terça-feira, 5 de junho de 2012

Fim de linha para Felipe Massa?


Rumores indiciam que Felipe Massa pondera abandonar a Fórmula 1 se não vir prolongado o seu vínculo com a Ferrari. Pelo que tem sido veiculado pela imprensa brasileira, a sua continuidade ao volante de um monolugar estará dependente dos resultados que for capaz de mostrar até ao fim da corrente temporada.
Facto é que alcançar sucesso não é algo que se afigure propriamente fácil. Em termos de competitividade, as evidências dispensam qualquer tipo de alegações adicionais: pela primeira vez na história da competição, 6 vencedores diferentes em outros tantos grandes prémios (Jenson Button, Fernando Alonso, Nico Rosberg, Sebastian Vettel, Pastor Maldonado e Mark Webber). 
Diga-se que a participação do piloto brasilieiro em 2012 pode ser qualificada, até à data e eufemisticamente falando, decepcionante. Apenas 10 pontos, duas desistências e duas classificações abaixo do décimo lugar. Demasiado modesto para a scuderia transalpina.
Depois de ter perdido em 2008 o título para Hamilton por um ponto (!), o sucesso teima não visitar o brasileiro de 31 anos.

O Pé d’Atleta pergunta: conseguirá Massa despertar a tempo de se aproximar do pelotão da frente?

4 comentários:

Faísca McQueen disse...

O Felipe Massa nunca foi, na minha opinião, um piloto com categoria suficiente para estar na Formula 1, quanto mais para ser piloto da Ferrari e lutar pelo título. É um piloto mediano (isto é um elogio) que teve um bom factor "c" para chegar onde chegou. Se abandonar, a Formula 1 não vai ter muitas saudades dele e os livros também não vão gastar muitas páginas a falar da sua carreira.

5 de junho de 2012 às 22:20
Pé d'Atleta disse...

Concordamos que não ficará nos anais da história. Era um piloto com potencial, especialmente em pista seca (bastante agressivo), mas o acidente que sofreu há coisa de 3 anos acabou com a carreira dele.

6 de junho de 2012 às 01:23
Chin Naifas disse...

Faltou a Felipe Massa a sorte dos campeões nos momentos certos. Em 2008 - ano em que poderia ter feito história -, teve a infelicidade de ter perdido o título na última corrida, na última volta, e praticamente na recta final. Não é um piloto versátil, é um facto, e nem sequer tem a técnica de Ayrton Senna, seu compatriota; aliás, este último destacava-se especialmente em pista molhada, ao contrário do que sucede com Massa, conforme o autor Pé d'Atleta destaca. Foi um piloto importante na era pós-Schumacher pelo espectáculo que por vezes trouxe, e, sem dúvida, tinha potencial para ter sido maior, não fosse a mola de Barrichello a marcar irreversivelmente o futuro do piloto.

6 de junho de 2012 às 15:52
Registos e Notariado do Nosso Mundi disse...

O Takuma Sato é pai da Sabrina Sato?

6 de junho de 2012 às 15:57

Enviar um comentário